inovacao cor barra 2d4f04

Práticas de Inovação Social

Projeto de Proximidade ao Idoso Isolado (PII)

1. Identificação da Entidade – Prática

Qual a designação da prática: Projeto de Proximidade ao Idoso Isolado (PII)
Prática em: Referenciação, Reconhecimento
Entidade Responsável pela Prática: Câmara Municipal de Valpaços
Pessoa de Contato na Entidade: Amilcar Castro de Almeida
E-mail: amilcar.castro@valpacos.pt
Telefone: 2787107130

2. Identificação da Prática de Qualificação / Capacitação /Inovação Social

Identificação das áreas temáticas (Escolher a(s) opção/opções que melhor enquadre a prática): Cidadania e Igualdade, Desenvolvimento Rural, Inclusão Social, Desenvolvimento Local e de Base Comunitária, Inovação Social
Objetivos e finalidade da Prática: O projeto Proximidade ao Idosos Isolado (PII) surge da constatação do elevado número de população idosa na estrutura demográfica do concelho de Valpaços, a viver em situação de isolamento social e sem retaguarda familiar. Tendo em conta esta realidade social é importante que haja uma intervenção junto da população idosa, em situação de isolamento, com o objetivo de combater e prevenir a solidão. Pretendemos realizar planos de ação personalizados para cada utente do projeto, que ofereçam, estimulação a nível pessoal, psíquico, social, qualidade de vida e valorização da sua essência enquanto pessoa. De forma, a retardar o processo de desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, cardiovasculares e geriátricas. Assim sendo, ter-se-á atenção ao facto do envelhecimento ser um processo natural do nosso ciclo de vida, devendo ser pensado ao longo da vida.
Beneficiários e destinatários - público-alvo: Os beneficiários são os idosos que estejam em situação de isolamento social e sem retaguarda familiar, a residir nas localidades mais distantes da sede de concelho.
Parceiros comprometidos com a prática [Indique as organizações comprometidas, formal e informalmente, com a prática]: Centro de Saúde de Valpaços; Núcleo da Cruz Vermelha de Valpaços, Presidentes de Freguesia do Concelho; Serviço Local da Segurança Social de Valpaços; Agrupamento de escolas de Valpaços, IPSS's do Concelho; ADRAT; CLDS 3G; UTAD; GNR, Cruz Vermelha.
Identificação do Princípio(s) em que a prática se inscreve. Selecione uma ou mais das seguintes opções: Participação, Inovação Social, Equidade e Inclusividade

3. Fundamente a(s) escolha(s) acima referida(s): apenas o princípio que quer ver referenciado ou reconhecido

4. Caracterização e Construção da Prática

A que problema pretende responder? Que solução foi implementada?: O Projeto de “Proximidade ao Idoso Isolado” pretende reforçar a intervenção junto da população idosa isolada do concelho de Valpaços, com vista a contribuir para um conhecimento e acompanhamento de proximidade, prevenindo o risco inerente à solidão, abandono, desproteção em todas as vertentes, aumentando assim o seu sentimento de segurança.
Que competências foram necessárias para a construção da prática?: Previamente foram contactados os vários parceiros com relevância no grupo alvo, de forma a discutir e diagnosticar estas situações. Posteriormente foram feitos estudos de caso e criada uma equipa de trabalho com competência na área da terceira idade. Foi feita divulgação através das juntas de freguesia e parceiros envolvidos.
Como foram envolvidos os beneficiários e destinatários da prática?: Os idosos foram previamente sinalizadas através dos parceiros, do atendimento na Ação Social do Município, Juntas de Freguesia, pela Segurança Social, Centro de Saúde, entre outros. Seguidamente foram contactadas individualmente para conhecimento do projeto e foi elaborado um processo individual para diagnóstico técnico.
Que metodologias e instrumentos foram utilizados?: Procedeu-se ao levantamento do nº de idosos isolados nas localidades selecionadas; Criação de base de dados; Numa 1ª fase foi realizada uma reunião com os Presidentes de Junta, com a finalidade de apresentar e explicar o projeto PII, durante a reunião discutiram-se os objetivos do projeto e esclareceram-se dúvidas e sinalizadas algumas situações. A equipa deslocou-se às localidades para explicar o objetivo do projeto após os presidentes de Junta reunirem os idosos. Após a seleção dos interessados no projeto, o acompanhamento passou a ser semanal e individual. A equipa fez a calendarização com atividades a desenvolver, sugeridas pelos participantes e parceiros envolvidos. Criou-se uma ficha de identificação individual de forma a obter os dados pessoais, situação económica, condições habitacionais, questões de saúde, relação com a rede comunitária, o suporte familiar, rotinas, hábitos, preferências, competências, potencialidades, ocupação do tempo livre, problemas e vulnerabilidades.
Que dificuldades e obstáculos foram encontrados? Quais as formas encontradas para os superar?: Durante a sua implementação, a equipa deparou-se com algumas dificuldades, de mencionar o facto dos utentes não entenderem quais os objetivos do projeto, o que só foi conseguido, após várias intervenções. O facto de os utentes terem os seus próprios hábitos também se tornou um impasse porque a equipa entrava um pouco na sua rotina diária. Inicialmente foi difícil a participação nas atividades propostas pela equipa, uma vez que existia preconceito, tais como vergonha, preocupação da opinião da vizinhança e medo de não conseguirem realizar as atividades sugeridas mas, com o decorrer da visitas, foi-se dissipando.
A prática contribuiu para o reforço das competências dos atores, agentes e organizações envolvidos na sua construção? Quais e em que medida?: Os utentes encontram-se recetivos às novas propostas e à equipa, sugerindo outras atividades e disponíveis para a participação de eventos fora das suas localidades. Assim, tornaram-se mais flexíveis às mudanças de estilo de vida, como por exemplo os hábitos alimentares, de higiene, de reciclagem, convívios intergeracionais, entre outros. Em relação ao bem-estar e saúde, uma vez que são acompanhados pelos técnicos aos serviços de saúde os utentes demonstram uma maior preocupação com as suas consultas de rotina e realização de exames.
A prática demonstra valor e mais-valias que garantem a sua autossustentação e viabilidade?: A prática do referido projeto não depende de financiamentos externos. O Município é o mentor deste projeto, sendo imprescindível o apoio que é dado através da disponibilização da equipa técnica e da viatura, bem como das parcerias alcançadas. De mencionar também o apoio a nível económico, habitacional e social ao grupo alvo.

Os participantes foram informando vizinhos e até mesmo familiares que residem noutras localidades, desta forma houve vários idosos a pedir para participar no projeto.

Na avaliação final há um consenso geral da equipa de que estes utentes atingem uma maior autonomia e sustentabilidade verificando-se que estão mais resiliente.
Liste e anexe evidências relevantes para aprofundamento da prática (links sites, fotografias, documentos resumo, documentos síntese de avaliação, testemunhos, notícias, etc.: - Cronograma das atividades;

- Fotos;

Anexos

Ficha-de-identificau00e7u00e3o-individual-do-idoso-PII.pdf
WP_20141211_002.jpg
DSC03497.JPG
DSC03397.JPG
DSC03207.JPG
DSC02850.JPG
DSC02848.JPG
DSC02318.JPG
DSC02299.JPG
Cronograma.pdf

5. Transferência, Incorporação e Disseminação da Prática

Em que medida pensa que a prática pode ser útil a outras organizações?: Na 3ª idade há situações graves associadas à exclusão social, violência familiar, escassez de cuidados de saúde especializados e contínuos e falha da garantia dos direitos básicos de dignidade individual e social.Esta prática pode ser replicada noutras organizações, que tenham identificada esta problemática. A criação de uma equipa de proximidade com competências comunicacionais, dirigidas às gerações mais velhas, é uma mais-valia para a comunidade. É fundamental atuar para minorar o sentimento de solidão nos idosos e desempenhar um papel de mediação com as redes de suporte formal e informal. Averiguamos que existiu uma melhoria na forma de ser e de estar dos utentes do projeto. A participação de todos os intervenientes foi bastante visível, criaram-se laços de afeto e relações de confiança. Hoje, podemos dizer que os utentes estão recetivos a novas propostas e a outras atividades. Este projeto, tornou-se um pioneiro nesta área, com sucesso e com melhor qualidade de vida dos utentes.
Em que medida estaria disponível para apoiar uma adaptação da prática a outros contextos ou trabalhá-la em parceria com a Rede ANIMAR?: O Município de Valpaços está disponível para disponibilização de todos os documentos necessários.
Mostrar Entrada no Site: Sim, quero mostrar a minha entrada no site

Redes e Parcerias

Parceiro1 Cases   Parceiro2 Ripess   Parceiro3 CNES   Parceiro4 Comuna Carta Portuguesa para a Diversidade

Financiado Por

 financiadores02 financiadores03 financiadores04