inovacao cor barra 2d4f04

Práticas de Inovação Social

FESS – Fórum da Economia Social do Distrito de Santarém

1. Identificação da Entidade – Prática

Qual a designação da prática: FESS – Fórum da Economia Social do Distrito de Santarém
Prática em: Referenciação, Reconhecimento
Entidade Responsável pela Prática: União Distrital das Instituições de Solidariedade Social de Santarém – UDIPSS Santarém
Pessoa de Contato na Entidade: Dr. Eduardo Mourinha
E-mail: forumeconomiasocialsantarem@gmail.com
Página Web e/ou Redes Sociais: http://www.economiasocial-santarem.org/
Telefone: 243327996

2. Identificação da Prática de Qualificação / Capacitação /Inovação Social

Identificação das áreas temáticas (Escolher a(s) opção/opções que melhor enquadre a prática): Inovação Social, Boa Governação, Transparência e Participação
Objetivos e finalidade da Prática: Finalidade

Assumir uma importância relevante nas atividades e estratégias de desenvolvimento local, nomeadamente, coesão social, qualidade de vida das pessoas, criação de emprego e volume de negócios no distrito de Santarém nas mais diversas áreas: social, cultural, cidadania, ambiente, lazer, juventude e desporto, agricultura, comércio e serviços

Objetivos

1. Realizar o diagnóstico de caraterização da economia social no distrito;
2. Desenvolver ações que contribuam para o aumento da visibilidade da economia social e do reconhecimento da sua importância na região;
3. Cooperar no desenvolvimento de sinergias que possibilitem a formação do “Fórum da economia social do distrito de Santarém” como entidade representativa perante os vários poderes a nível local, regional, nacional e internacional;
[...]
(A restante informação encontra-se descrita no "Descritor da Prática" disponível em anexo)
Beneficiários e destinatários - público-alvo: Beneficiários/as: Organizações da economia social e suas parceiras.

Destinatários/as - público-alvo: Público em geral; Dirigentes, técnicos/as, colaboradores/as e Voluntários/as.
Parceiros comprometidos com a prática [Indique as organizações comprometidas, formal e informalmente, com a prática]: Federação das Associações Juvenis do Distrito de Santarém – FAJUDIS
Associação de Andebol de Santarém - AAS
Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local - ANIMAR
Federação das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto do Distrito de Santarém – FCCRDS
União Distrital das Instituições de Solidariedade Social de Santarém - UDIPSS Santarém
Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém – ISLA
Identificação do Princípio(s) em que a prática se inscreve. Selecione uma ou mais das seguintes opções: Inovação Social

3. Fundamente a(s) escolha(s) acima referida(s): apenas o princípio que quer ver referenciado ou reconhecido

4. Caracterização e Construção da Prática

A que problema pretende responder? Que solução foi implementada?: Atento à realidade atual das organizações da economia social e da sobreposição das atividades realizadas pelas mesmas no âmbito dos seu território, o Fórum da Economia Social do Distrito de Santarém procurou, numa lógica de articulação e de fortalecimento do trabalho em rede, criar sinergias e complementaridade das iniciativas promovidas por cada uma destas organizações, de forma a permitir-lhe ganhar escala e acrescentar valor às intervenções realizadas individualmente por cada uma destas org.
Que competências foram necessárias para a construção da prática?: A presente prática foi desenvolvida a partir do conhecimento e das relações de proximidade e de parceria entre dirigentes e org. de economia social com intervenção neste território, às quais estão subjacentes valores como a partilha de visões e preocupações em torno das questões da cidadania, participação, voluntariado e da necessidade de trabalho para reforço e fomento do movimento associativo.
[...]
(A restante informação encontra-se descrita no "Descritor da Prática" disponível em anexo)
Como foram envolvidos os beneficiários e destinatários da prática?: Esta prática surgiu a partir das vontades e necessidades dos seus próprios beneficiários/destinatários, pelo que os mesmos fizeram parte do processo de criação.
Que metodologias e instrumentos foram utilizados?: Esta prática foi construída com base em metodologias participativas, de diálogo, reflexão e concertação entre as partes. De um modo geral, são utilizadas as práticas e metodologias já experienciadas por cada um dos parceiros, conforme a atividade em questão. Para a gestão da prática, são realizadas reuniões com periodicidade mensal, comunicação entre parceiros – telefone e e-mail.
Que dificuldades e obstáculos foram encontrados? Quais as formas encontradas para os superar?: Principais dificuldades e obstáculos:

- Estrutura informal;
- Informalidade de gestão e organização de atividades;
- Escassez de recursos humanos e económicos;
- Desconhecimento do FESS por parte do publico em geral e organizações parceiras;

Sugestões de melhoria:

- Definição de modelos de gestão/coordenação;
- Desenvolvimento de instrumentos de comunicação e informação;
- Desenvolvimento de soluções de financiamento;
A prática contribuiu para o reforço das competências dos atores, agentes e organizações envolvidos na sua construção? Quais e em que medida?: Sim, tendo em conta as atividades realizadas, nomeadamente no que respeita às áreas da formação e capacitação técnica e organizacional.
A prática demonstra valor e mais-valias que garantem a sua autossustentação e viabilidade?: As associações e coletividades assumem um papel de importância relevante na dinamização de atividades e estratégias promotoras de desenvolvimento e coesão territorial e social, assumindo-se como parceiros estratégicos na promoção de atividades da economia social. Neste sentido, e atendendo à capacidade de mobilização e participação conseguida por esta plataforma colaborativa, considera-se que esta é sustentável.
Liste e anexe evidências relevantes para aprofundamento da prática (links sites, fotografias, documentos resumo, documentos síntese de avaliação, testemunhos, notícias, etc.: Descritor da Prática

http://www.economiasocial-santarem.org/

Anexos

Descritor-da-Pru00e1tica1.pdf

5. Transferência, Incorporação e Disseminação da Prática

Em que medida pensa que a prática pode ser útil a outras organizações?: Este modelo já está a ser replicado noutros territórios.

No entanto, considera-se que seria interessante a transferência, incorporação e disseminação da prática junto das estruturas locais da economia social, ambicionando-se a criação de fóruns locais participados por todas as estruturas locais – associações, cooperativas, instituições de solidariedade social, misericórdias e mutualidades, congregando-se assim a vertente mercantil e não mercantil da economia social.
Em que medida estaria disponível para apoiar uma adaptação da prática a outros contextos ou trabalhá-la em parceria com a Rede ANIMAR?: Considerando que a Animar já faz parte desta parceria, esta questão não se aplica.
Mostrar Entrada no Site: Sim, quero mostrar a minha entrada no site

Redes e Parcerias

Parceiro1 Cases   Parceiro2 Ripess   Parceiro3 CNES   Parceiro4 Comuna Carta Portuguesa para a Diversidade

Financiado Por

 financiadores02 financiadores03 financiadores04