inovacao cor barra 2d4f04

Práticas de Inovação Social

Ecomuseu de Barroso

1. Identificação da Entidade – Prática

Qual a designação da prática: Ecomuseu de Barroso
Prática em: Referenciação
Entidade Responsável pela Prática: Associação de Barroso
Pessoa de Contato na Entidade: Gorete Carneiro
E-mail: geral@ecomuseu.org
Página Web e/ou Redes Sociais: http://www.ecomuseu.org/ https://www.facebook.com/ecomuseu/?fref=ts
Telefone: 276510203

2. Identificação da Prática de Qualificação / Capacitação /Inovação Social

Identificação das áreas temáticas (Escolher a(s) opção/opções que melhor enquadre a prática): Desenvolvimento Rural, Desenvolvimento Local e de Base Comunitária, Inovação Social, Produtos Locais e Internacionalização
Objetivos e finalidade da Prática: O âmbito de intervenção do Ecomuseu de Barroso abrange a maioria dos propósitos convencionalmente atribuídos aos museus. Com consciência plena da necessidade de cumprir esse conjunto de funções, pretende assumir-se como elemento âncora da estratégia de desenvolvimento integrado e sustentável do território barrosão. O Ecomuseu de Barroso integra as funções de documentação, investigação e interpretação dos valores culturais e naturais do território barrosão e, deste modo, contribuir para reforçar a identidade cultural da comunidade, revitalizando a relação desta com o seu espaço geográfico - "espaço humanizado".
Beneficiários e destinatários - público-alvo: Toda a população local. Todos os visitantes que pretendam partir para a descoberta do que de melhor o “reino maravilhoso” tem para oferecer: tradições, cultura, aldeias e as pessoas, verdadeiros agentes do desenvolvimento local.
Parceiros comprometidos com a prática [Indique as organizações comprometidas, formal e informalmente, com a prática]: Direção Regional de Cultura do Norte

Município de Montalegre

Município de Boticas

UNESCO

Museu de Arte Popular

Entidade Regional de Turismo do Douro

Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança

Centro de Estudos Interdisciplinares

Associação para o desenvolvimento e Inovação Tecnológica

Universidade Lusófona do Porto

Escola Profissional de Braga

Universidade de Trás-os-Montes e Alto-douro
Identificação do Princípio(s) em que a prática se inscreve. Selecione uma ou mais das seguintes opções: Inovação Social

3. Fundamente a(s) escolha(s) acima referida(s): apenas o princípio que quer ver referenciado ou reconhecido

4. Caracterização e Construção da Prática

A que problema pretende responder? Que solução foi implementada?: A região de Barroso carateriza-se por possuir um património riquíssimo e um imaginário coletivo diferenciador. A necessidade de salvaguardar esses elementos ímpares e únicos fez com que as autarquias de Montalegre e Boticas se unissem e, assim, delineassem um projeto capaz de assumir a responsabilidade de uma estratégia de desenvolvimento conjunta. Em 2002, foi criado o Ecomuseu de Barroso, museu do território em constante relação com a população local e portador da memória coletiva.
Que competências foram necessárias para a construção da prática?: O projecto afirmou-se com as seguintes competências: alicerces prolongados no tempo de modo a conceder-lhe a unidade indispensável e o reconhecimento público do próprio conceito de Ecomuseu; um projecto cultural, turístico e de desenvolvimento; um projecto que fosse um elemento âncora da estratégia de desenvolvimento sustento do território e enriquecido por uma relação das pessoas com o território e destas com os visitantes.
Como foram envolvidos os beneficiários e destinatários da prática?: O Ecomuseu de Barroso iniciou atividade no momento em que começou a trabalhar com as instituições locais e as pessoas. Sem estar confinado a um edifício ou a um conjunto de edifícios, nem a horários de visita, dir-se-ia que se entra no Ecomuseu de Barroso quando, vindos de outros territórios, se transpõe qualquer uma das estradas que nos trazem a Barroso.
Que metodologias e instrumentos foram utilizados?: A reafirmação do desenvolvimento sustentado e de manter o comunitarismo como tradição fortemente enraizada no modo de vida e dos padrões culturais; a integração da componente imaterial; preservar e divulgar os patrimónios; reforçar
a identidade e auto-estima; estimular a formação, a participação, a cidadania; promover a concertação e o cooperação; inovar e mobilizar as pessoas para novas actividades.
Que dificuldades e obstáculos foram encontrados? Quais as formas encontradas para os superar?: Montalegre e Boticas são Concelhos rurais e pobres, envelhecidos e com muita emigração. Para inverter, estancar ou atenuar esta tendência os municípios sentiram a necessidade de lançar um projecto de desenvolvimento. Teria que ser um projecto com base nos recursos endógenos e respeito pelo passado pela história e pela cultura.
A prática contribuiu para o reforço das competências dos atores, agentes e organizações envolvidos na sua construção? Quais e em que medida?: Contribuiu. Hoje temos um projeto de 2 Concelhos; um projecto com entidade jurídica privada – Ecomuseu – associação de Barroso; um museu do território com a vida rural ao vivo onde as pessoas se revêm; Polos museológicos repositórios da memória colectiva.
A prática demonstra valor e mais-valias que garantem a sua autossustentação e viabilidade?: Ao fim de mais de uma década ao serviço da comunidade, o Ecomuseu de Barroso vê o trabalho reconhecido, com a aprovação da creditação pelo Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier. Deste modo, passa a integrar a Rede Portuguesa de Museus. Orlando Alves, presidente da Câmara Municipal de Montalegre, referiu que «não é qualquer museu que consegue entrar neste grande catálogo». Este acontecimento abre portas à internacionalização, a fundos comunitários específicos e à divulgação direcionada no Turismo de Portugal e na Rede Portuguesa de Museus. Sem esquecer que esta rede permite a integração numa rede onde circulam exposições temporárias e eventos culturais. Com mais de 150 mil visitas, apenas no núcleo sede, o Ecomuseu de Barroso «está pronto para assumir a responsabilidade acrescida que esta creditação confere» e, assim, estar ao serviço da promoção do acesso à cultura e do enriquecimento do património cultural português.
Liste e anexe evidências relevantes para aprofundamento da prática (links sites, fotografias, documentos resumo, documentos síntese de avaliação, testemunhos, notícias, etc.: http://www.ecomuseu.org

https://www.facebook.com/ecomuseu/?fref=ts

http://www.cm-montalegre.pt

https://www.facebook.com/MunicipioMontalegre/?fref=ts

5. Transferência, Incorporação e Disseminação da Prática

Em que medida pensa que a prática pode ser útil a outras organizações?: Pode ser útil a qualquer organização que pretenda promover o seu património, material e imaterial; as suas tradiçoes orais, bem como apoir a criatividade e inovação e iniciativas culturais e de desenvolvimento do território.
Em que medida estaria disponível para apoiar uma adaptação da prática a outros contextos ou trabalhá-la em parceria com a Rede ANIMAR?: O trabalho em rede é sempre uma mais valia. pensamos que favoreceria a nova prática trabalhar uma rede de Ecomuseus.
Mostrar Entrada no Site: Sim, quero mostrar a minha entrada no site

Redes e Parcerias

Parceiro1 Cases   Parceiro2 Ripess   Parceiro3 CNES   Parceiro4 Comuna Carta Portuguesa para a Diversidade

Financiado Por

 financiadores02 financiadores03 financiadores04