inovacao cor barra 2d4f04

Práticas de Inovação Social

Formação Cívica de Jovens

1. Identificação da Entidade – Prática

Qual a designação da prática: Formação Cívica de Jovens
Prática em: Reconhecimento
Entidade Responsável pela Prática: ALIENDE – Associação para o Desenvolvimento Local
Pessoa de Contato na Entidade: Jorge Manuel G. M. Coelho
E-mail: jorgecoelho@aliende.pt
Página Web e/ou Redes Sociais: http://aliendequalifica.org/
Telefone: 927808800

2. Identificação da Prática de Qualificação / Capacitação /Inovação Social

Identificação das áreas temáticas (Escolher a(s) opção/opções que melhor enquadre a prática): Formação / Capacitação, Boa Governação, Transparência e Participação
Objetivos e finalidade da Prática: Itinerário pedagógico de promoção da cidadania ativa.
Beneficiários e destinatários - público-alvo: Jovens, entre os 15 e os 30 anos, com dificuldade de inserção no mercado de trabalho e afastados de percursos de educação e/ou formação.
Parceiros comprometidos com a prática [Indique as organizações comprometidas, formal e informalmente, com a prática]: Parceiros comprometidos:

COFAC – Cooperativa de Formação e Animação Cultural, CRL
(Na Irlanda: Nexus Research Cooperative, Waterford and South Tipperary Community Youth Service, Tipperary Rural Traveller Project)
(Na Grécia: Ergon Kentro Epaggelmatikis Katartisis, Praksis – Programs of Development, Social Support and Medical Cooperation)

Outras entidades envolvidas; Município de Reguengos de Monsaraz, Agrupamento de Escolas de Reguengos de Monsaraz.
Identificação do Princípio(s) em que a prática se inscreve. Selecione uma ou mais das seguintes opções: Participação

3. Fundamente a(s) escolha(s) acima referida(s): apenas o princípio que quer ver referenciado ou reconhecido

PARTICIPAÇÃO: Apenas o princípio que quer ver referenciado ou reconhecido

4. Caracterização e Construção da Prática

A que problema pretende responder? Que solução foi implementada?: A construção do itinerário pedagógico na área da formação cívica pretende dar resposta à necessidade de impulsionar o desenvolvimento de competências pessoais e sociais, e de desenvolver competências para a intervenção cívica, junto destes jovens. Visa assim impulsionar o seu desenvolvimento pessoal em correlação com o incremento da sua participação na vida cívica e no processo de desenvolvimento local.
Que competências foram necessárias para a construção da prática?: Foram mobilizadas no interior da Aliende competências ao nível do desenho e planeamento de ações formativas e da animação de workshops com metodologias participativas.
Foram mobilizadas nas entidades envolvidas competências ao nível da análise e do planeamento social ligado ao desenvolvimento local.
Foram mobilizadas nas entidades locais (município, associações) competências ao nível do conhecimento específico do território e do grupo de jovens destinatários e da intervenção com os mesmos.
Como foram envolvidos os beneficiários e destinatários da prática?: A prática foi implementada por fases; construção do itinerário, teste e retroalimentação.
Ver detalhe no descritor da prática em anexo.
Que metodologias e instrumentos foram utilizados?: Foram utilizadas metodologias adequadas ao envolvimento de cada grupo na construção do itinerário pedagógico. Assim no trabalho com os técnicos dos municípios e dos técnicos de desenvolvimento local/formação foram utilizadas diversas metodologias de trabalho de grupo, aplicadas em reuniões orientadas para resultados e usados instrumentos como análise SWOT, estudo de estado da arte, entre outros.
No trabalho de validação do itinerário pedagógico com os jovens foram utilizadas metodologias participativas (metaplan) e de animação de grupos.
Na atividade de formação foi utilizado sobretudo o método ativo e, em menor dimensão, o método expositivo, correlacionado com alguns aspetos dos conteúdos abordados, por exemplo ao nível da legislação para o associativismo.
O apoio ao grupo de jovens em contexto real de aprendizagem recorreu em termos de comunicação ao facebook (grupo fechado) e a momentos presenciais, essencialmente constituídos por reuniões e presença em eventos.
Que dificuldades e obstáculos foram encontrados? Quais as formas encontradas para os superar?: O principal obstáculo relacionou-se com a criação de condições para que a atividade escolhida pelos jovens (criação de uma associação juvenil), como contexto real de aprendizagem e em redor da qual se centrou a aplicação do itinerário pedagógico (fase de teste). Para o efeito articulou-se a intervenção dos jovens, enquanto grupo informal, na comunidade, mobilizando apoios e alargando a base de interessados. Este trabalho assentou na articulação com projetos e intervenções em curso no território (projeto Criar Futuro E6G e outros). Em paralelo articulou-se o processo com o município de Reguengos de Monsaraz, por forma a proporcionar respaldo ao grupo de jovens sobre a importância da sua atividade e tendo como objetivo futuro a criação de um Conselho Municipal de Juventude.
O envolvimento do município, garantiu também condições práticas (por exemplo espaço sede, gala de apresentação da associação, etc.) e facilitou algumas das ações desenvolvidas pelo grupo de jovens.
A prática contribuiu para o reforço das competências dos atores, agentes e organizações envolvidos na sua construção? Quais e em que medida?: A prática proporcionou o aprofundamento da reflexão e de competências já existentes, ao nível do empowerment, dos processos e metodologias participativas. Proporcionou a criação de competências em sistematização das aprendizagens e estruturação de produtos para disseminação (em curso).
A prática demonstra valor e mais-valias que garantem a sua autossustentação e viabilidade?: A prática pelos resultados que entregou demonstra a sua sustentabilidade social e viabilidade.
Resultados diretos: Na fase de teste foram envolvidos 15 participantes (5 homens e 4 mulheres) dos quais 9 concluíram a ação em condições de certificação.
Resultados de impacto: Foi constituída a Associação de Jovens de Reguengos de Monsaraz, com gala de apresentação pública (17 fevereiro 2017), a qual se encontra em funcionamento. Foram desenvolvidas pela associação, e anteriormente pelo grupo de jovens, diversas intervenções de caráter cívico (organização local de exposição sobre descriminação da comunidade cigana outras), cultural e lúdico.
A abordagem realizada e o modelo implementado garantiram assim a sustentabilidade social da intervenção e a sua continuidade. Após a constituição da associação encerrou-se o processo relativo ao itinerário pedagógico e à intervenção formativa da Aliende.
Liste e anexe evidências relevantes para aprofundamento da prática (links sites, fotografias, documentos resumo, documentos síntese de avaliação, testemunhos, notícias, etc.: Plano de Trabalho dos Estudantes (Pressupostos do trabalho a realizar pelo grupo de técnicos de formação/desenvolvimento local - estudantes/trabalhadores).
Fotos de atividades.
Programa do Percurso Formativo (Itinerário pedagógico final).
Questões desafio (power point) guia para sessão com jovens.
Relatório de um workshop de validação com jovens.
Convite para gala de criação da associação.

Links:

para a página da associação de jovens: https://pt-pt.facebook.com/associacaojovensRMZ/
para noticia sobre gala de apresentação da associação: http://www.radiocampanario.com/ultimas/reportagens/associacao-de-jovens-de-reguengos-de-monsaraz-apresentou-se-em-gala-de-talentos-c-som-e-fotos

Anexos

IMG_20160720_204936.jpg
Relatu00f3rio-sessu00e3o-com-Jovens-25JAN2016.pdf
Questu00f5es-desafio-PIEF.ppt
Prog_Percurso_Formau00e7u00e3o_Cu00edvica_Jovens-vs1.3.pdf
Plano_Formau00e7u00e3o_Trabalhos_estudantes-vs-final.pdf
Convite-Gala-de-Apresentau00e7u00e3o.jpg
2016-01-25-12.27.24.jpg
PRu00c1TICA-para-Referenciau00e7u00e3o_ou_Reconhecimento.docx

5. Transferência, Incorporação e Disseminação da Prática

Em que medida pensa que a prática pode ser útil a outras organizações?: A prática tem valor para disseminação por duas vias. Por um lado pela aplicação do processo metodológico utilizado para o desenho de uma intervenção formativa à medida. Por outro pela utilização do itinerário pedagógico construído, dado que o mesmo se organização em torno de uma atividade, em contexto real, variável e a definir pelos participantes, da qual os aspetos teóricos surgem como adjuvantes. A prática tem sido cotejada com intervenções em outros países (Irlanda e Grécia) com o mesmo objetivo, sendo assinaladas as suas potencialidades. Neste âmbito está também a ser preparado um suporte para assistir a disseminação da prática.
Em que medida estaria disponível para apoiar uma adaptação da prática a outros contextos ou trabalhá-la em parceria com a Rede ANIMAR?: A Aliende está totalmente disponível para apoiar a incorporação da prática por parte de entidades sem fins lucrativos.
Mostrar Entrada no Site: Sim, quero mostrar a minha entrada no site

Redes e Parcerias

Parceiro1 Cases   Parceiro2 Ripess   Parceiro3 CNES   Parceiro4 Comuna Carta Portuguesa para a Diversidade

Financiado Por

 financiadores02 financiadores03 financiadores04